TIANA
Apesar de não amar Raimundo e ele ser mais velho, feio e grosso, Tiana estava contente. Afinal ela não ia casar, só morar junto. Ia fazer um pé de meia e depois, quem sabe...
Tão logo Raimundo falou que tinha alugado casa ela ensacou as suas roupas  e as da Jucimara, e de nariz empinado despediu-se da parenta, não sem antes convidá-la para um chá como via as mulheres ricas fazerem nas  novelas.
Casa foi o que Raimundo falou, mas depois de passear por duas horas no caminhão com Jucimara enlouquecida pela novidade chegaram num bairro de periferia, numa rua sem asfalto, num quintal com vários cômodos, muitas crianças e muitos cachorros. A primeira coisa que Tiana pensou, foi que teria que cancelar o chá com a parenta, a segunda foi que deveria ter esperado um pouco mais pelo príncipe encantado.
Todo mundo do quintal conhecia Raimundo, todo mundo tinha sotaque e todos foram muito simpáticos com ela. Não era de todo mau. Até ela ver onde iam morar: um quarto e cozinha com mobília velha. Decididamente ali a parenta não tomaria chá. Raimundo nem percebeu sua decepção, ou se percebeu nem se importou, ele não era homem de aturar frescura de mulher.
Jucimara adorou ter tanta criança pra brincar e nenhuma regra. Na casa da parenta não podia correr nem gritar, coisas que aqui todas as crianças faziam o tempo todo.
Tiana acomodou as suas roupas e as de Jucimara o melhor que pode e pediu para Raimundo trazer a roupa dele pra ela arrumar, mas ele falou que só tinha uma sacola com algumas trocas no caminhão, nem precisava guardar, pois ele ia pegar estrada dentro de dois dias. Tiana estranhou, mas tinha uma casa pra cuidar, precisava limpar, fazer a janta. Raimundo ficou de bate-papo com o pessoal do quintal, bebendo e rindo, enquanto Tiana que já tinha terminado a arrumação e sem ter mais o que fazer não sabia se chamava Raimundo pra jantar ou se ia lá fora conversar.  Não o conhecia  bem pra saber se ele ia se importar com qualquer atitude que ela tivesse. Decidiu ir lá fora, pois ouviu música do tipo que ela ouvia lá na sua terra. Raimundo não  achou ruim por ela aparecer lá no quintal, até ofereceu bebida, apresentou pros conhecidos. Parece que eles aprovaram a escolha do Raimundo. Logo todo mundo tava dançando, comendo lingüiça assada numa churrasqueira de lata e bebendo caipirinha. Nada mal seu primeiro dia de juntada! A primeira noite também não foi ruim. Com tanta caipirinha e dança Raimundo não pareceu tão feio, nem tão velho. Jucimara dormiu na casa de alguma vizinha e Tiana depois de longos anos dormiu com um homem... sem proteção novamente. Mas agora ela não devia satisfação a ninguém, nem a sua mãe nem a parenta.

2 comentários:

Palavras Vagabundas disse...

É a vida. Onde isso vai dá?
bjs
Jussara

• déia musso • disse...

hahah Odete, estou rindo do seu comentário no blog...esqueci mesmo das doidas ensandecidas com batom a rebocar tudo e todos...Jesus!

Os comentários diziam q eu tava errada, que Graças a Deus elas não tinham a vergonha que eu tenho, que pra elas não é sacrifício algum fazer sala pros parentes...é que elas não conhecem a turma aqui! Queria ver se aguentava 10 min....rs

Obrigada pelo comentário, estou seguindo seu cantinho, hj depois que voltar da faculdade, veio prestigiar com calma!

Bzinhos nossos,

Deínha e Lilo ♥

Postar um comentário

Sinta-se em casa

About