TIANA
       Enquanto Raimundo estava viajando Tiana pela primeira vez na vida se sentiu livre e feliz.  Dona do dinheiro, sem a parenta pra pegar no seu pé,  Jucimara solta no quintal, bate papo com as vizinhas que não trabalhavam, dança todas as noites regadas a caipirinha, achava que não precisava mais do que isso.
Acontece que Tiana não estava acostumada a lidar com dinheiro e antes de dez dias o dinheiro tinha acabado e ela não tinha comprado comida, só bobagens que vinham vender na porta. Também tinha comprado uma vez, lingüiça e pinga. Mas como estava entre amigos logo começou pedir emprestado desde dinheiro até arroz, feijão, óleo, etc., com a promessa de pagar quando Raimundo chegasse. No dia que era para o Raimundo chegar, apareceu um moleque do bairro trazendo um recado para Tiana: Raimundo tinha telefonado avisando que ia demorar pra voltar, pois tinha pego um frete para o norte. Tiana ficou desesperada e claro foi se queixar com as vizinhas, para quem estava devendo. Elas a acalmaram, dizendo que mulher de caminhoneiro, tem que se acostumar com a demora das viagens. Mas Tiana estava preocupada com a falta de dinheiro, então elas a aconselharam a trabalhar como diarista.  Trabalhar não estava nos seus planos, mas sem outra opção, ela começou a fazer faxina por indicação de uma das vizinhas que trabalhavam. Meio enferrujada pelos dias sem trabalhar, mas com a experiência que adquirira na casa da parenta, Tiana conseguiu dar conta do trabalho e ganhar dinheiro para se manter até Raimundo chegar. Depois do susto aprendeu a controlar melhor seu dinheiro.
Em um dos dias que tinha folga, ficou de conversa com as vizinhas e queixou-se do cansaço. Uma delas comparou-a com a mulher do Raimundo, dizendo que Tiana era muito esforçada enquanto a mulher dele não trabalhava. Tiana corrigiu: ex mulher! A vizinha percebeu que Tiana não sabia que Raimundo era casado, mas como tinha começado a falar foi até o fim.  Contou que eles tinham morado ali no mesmo quintal, que ela não trabalhava,  que tinham seis filhos, que ela quis se mudar para o norte, por não se acostumar com o clima etc.  Tiana ficou furiosa, então era isso que a parenta quis dizer com quebrar a cara?  Mas que filho da mãe!  Por isso ele não se importou dela ter uma filha.  E agora ele  tinha ido pro norte, pra sua casa! Então foi esse o motivo dele não trazer suas roupas, porque tinha outra casa! E se ele não voltasse? Como ela ia pagar o aluguel que ela nem sabia quanto era? Será que a parenta a aceitaria de volta? Com este estado de espírito, Tiana chegou à conclusão que fora uma idiota por ter aceitado morar com o primeiro homem que a convidara.  Não tinha perguntado se ele era casado e ele também não tinha tocado no assunto. Tiana percebeu que a culpa era só dela, pois ele deve ter pensado que ela não se importava com esta situação. A solução seria esperar ele voltar... Se, voltasse.
Raimundo voltou. Chegou feliz e trouxe presentes, até pra Jucimara.  Tiana ficou aliviada, afinal ele não a tinha abandonado, mas precisavam ter uma conversa séria.  Ele contou das peripécias da viagem, ela contou que estava trabalhando. Ele ficou um pouco surpreso, mas nada além disso. Logo um vizinho veio chamá-lo pra conversar e foi como das outras vezes: churrasco de lingüiça, caipirinha e dança. Como sempre Jucimara dormiu na vizinha.
No dia seguinte Tiana perguntou por que Raimundo não tinha contado que era casado e ele falou com a maior naturalidade que pensou que ela soubesse, afinal todo mundo sabia. Então ela falou que se soubesse, jamais teria ido morar com ele, que não era esse tipo de mulher que ele estava pensando.  Raimundo falou que ele não pensou que ela era mulher de nenhum tipo, que a mulher dele estava lá no norte, que era como se fosse separado. Se ela estava muito ofendida ele ia entender, mas não foi sua intenção prejudicar ninguém, afinal ele gostou muito dela e precisava de uma mulher aqui no sul, já que ficava bastante tempo por aqui entre suas viagens. Tiana pediu um tempo pra pensar, como nas novelas.
Tiana pesou bem os prós e os contras. Contra: Raimundo era casado, velho e pobre. Pró: ela não tinha pra onde ir. Aquele lugar era horrível, mas a única opção possível no momento. Raimundo tinha falado que precisava de uma mulher, se ela fosse embora ele arrumaria outra rapidinho.  Neste momento ela tomou a decisão mais importante da sua vida: Jucimara não ia ter o mesmo destino que o seu. Ela ia ser criada pra casar com um homem rico.

3 comentários:

Allan Robert P. J. disse...

Vou começar do começo pois pareceu-me interessante. :)

J@de disse...

Obrigada pela sua visita, vim aqui antes, mas não tinha entendido muito bem os posts... agora com tempo vou ler desde o começo, porque gostei muito!!
Beijos!!

Cintia Branco disse...

Oi,

Pronto, agora estou lascada, vou ter que ler tudo, já que sou a senhora curiosidade. gostei muito do texto, parabéns. Pelo que entendi são duas histórias, é isso?
Vim agradecer por você estar me fazendo companhia no Sobre Viver em Sinop. Adorei aqui.
Grandes beijos

Postar um comentário

Sinta-se em casa

About